Jean Wyllys é acusado de mandar matar Jair Bolsonaro em vídeo bomba

Nessa quinta-feira, 24 de janeiro, Jean Wyllys desistiu de assumir o segundo mandato de deputado federal. Ele motivou sua saída com supostas ameaças de morte que estaria recebendo. O deputado revelou ainda que está saindo do Brasil. No entanto, segundo a jornalista Regina Vilela, era seria o mandante de um crime famoso na mídia brasileira.

Regina acusa Jean de ser o mandante da facada contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Ela afirma ainda que Wyllys teria computado a entrada do nome de Adélio Bispo na câmara dos deputados no mesmo dia da facada em Bolsonaro.

Jornalista acusa Jean de sair do Brasil por ser mandante da tentativa de assassinato a Bolsonaro

“– Rodrigo Maia escondeu quem fez a inscrição para o Adélio Bispo entrar na Câmara (Adélio era do PSOL e suspeita-se que ele conhece Jean Wyllys, daí a ligação). A Polícia Federal já sabe quem fez. Vão só ligando os pontos”, diz a jornalista, que na sequência garante que Jean deixa o Brasil pois tem medo de ser descoberto.

Veja abaixo o vídeo em que a jornalista afirma que Jean Wyllys teria sido o mandante da facada de Jair Bolsonaro. O vídeo tem mais de 250 mil visualizações no Youtube.

https://www.youtube.com/watch?v=ZUuip8B8a2o

Apresentador gay humilha Jean Wyllys e diz verdades: ‘Menos um para pagar salário’

Nessa quinta-feira, 24 de janeiro, o deputado federal Jean Wyllys anunciou a grande bomba política. Ele disse que vai abdicar o segundo mandato por estar com medo. O representante do PSOL carioca informou que estaria sendo vítima de ameaças de morte. Jean Wyllys também vai deixar o Brasil, assim que assinar sua carta de renúncia.

Nas redes sociais, quem fez questão de detonar o representante da esquerda foi o apresentador Felipeh Campos. O jornalista, que é assumidamente gay, fez questão de não perdoar para o lado de Jean, que virou um dos assuntos mais comentados das redes sociais.

Felipeh Campos começa a sua mensagem revelando que Jean nunca o representou e que é contra homens que usam sua sexualidade para tentarem passar algum tipo de mensagem do que chamou de “pseudointeligência”.

“(…) Mas bem da verdade, estão chafurdando no cocô. Fazer barulho, levantar esteriótipos, afetação, não muda questões políticas. A consciência do Jean apareceu somente agora depois de deixar o cargo. Parabéns!! Menos um pra pagar o salário”, escreveu ele na rede social.

Comentários estão fechados.