‘Estadão Fake News’: jornal diz que apoio a Bolsonaro caiu e paga dura humilhação Hashtag contra reportagem de jornal paulista tornou-se o assunto mais comentado da internet.

Nesta segunda-feira, 21 de janeiro, o jornal ‘O Estado de São Paulo’, também chamado de ‘Estadão’, produziu uma reportagem refletindo o caso em torno do Senador Flávio Bolsonaro. Após a divulgação de relatórios do COAF, órgão fiscalizados, movimentações estranhas nas contas de Bolsonaro filho foram alvo de questionamentos.

O jornal Estadão então publicou uma matéria que dizia que o apoio ao presidente Bolsonaro estava caindo nas redes sociais. Irritados, os fãs do presidente, fizeram um tweetaço. A hashtag ‘Estadão Fake News’ virou, simplesmente, o assunto mais comentado do planeta. Isso porque, segundo o jornal, tais seguidores estariam dando menos força ao presidente.

Estadão diz que Bolsonaro perdeu força na internet e vira o principal assunto da internet por ‘fake news’

Mais de 150 mil pessoas tweetaram a hastag ‘Estadão Fake News’. Os comentários foram os mais revoltados contra a publicação paulista. “Enquanto vigiam os filhos do Bolsonaro, esses aí seguem impunes, sem provar de onde tiraram seus milhões!”, escreveu um internauta publicando fotos de filhos de políticos presos, como Lulinha, filho do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

https://twitter.com/goulart_lenita/status/1087481808411914249

“Alguma semelhança com a realidade? Precisamos melhorar urgentemente a educação do nosso país! Assim a mídia fake não terá tanto poder”, escreveu outro publicando uma charge e fazendo grandes críticas ao jornal ‘O Estado de São Paulo’.

Jornal Nacional dedica amplo espaço em matérias desfavoráveis a Bolsonaro

O caldo azedou de vez na relação entre a Rede Globo de Televisão e a família do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Na quinta-feira, 17 de janeiro, por exemplo, o canal da família Marinho dedicou uma reportagem ampla contra Flávio Bolsonaro, Senador eleito pelo PSL do Rio de Janeiro. Por conta da matéria, Flávio tem evitado entrevistas com a Globo.

Na sexta-feira, 18 de janeiro, Flávio preferiu conversar com a Record TV sobre o caso Queiroz, envolvendo o ex-assessor dele. Ele também falou sobre o pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para rejeitar provas conquistadas pelo Ministério Público. Ele alega que tais provas são ilegais.

Na quinta, por exemplo, o ‘Jornal Nacional’ mostrou até Queiroz dançando no hospital. O ex-assessor de Bolsonaro alega que não foi depôr por graves problemas de saúde e continua internado em uma unidade de São Paulo.

Para aliados do presidente Bolsonaro, a matéria exibida pela Globo é declaração de guerra contra o governo do líder do PSL. O presidente, por outro lado, nunca escondeu que não gosta da Globo. Ele, inclusive, teve uma reunião com executivos da CNN International no final de semana.

Comentários estão fechados.