Flávio Bolsonaro expõe polêmica foto de jornalista da Globo com procurador e acusa ‘conluio’ Senador Flávio Bolsonaro acusa 'conluio' entre mídia e Ministério Público para tentarem derrubá-lo.

Nesta quinta-feira, 24 de janeiro, o Senador Flávio Bolsonaro deu uma entrevista ao SBT, na qual fez graves críticas ao Ministério Público e à Rede Globo. Acusado de fazer movimentações financeiras estranhas, Flávio Bolsonaro expôs uma foto na qual o jornalista Otávio Guedes, da Globo News, aparece almoçando com o procurador geral de justiça do Rio, Eduardo Gussen.

A foto mostra o jornalista trabalhando, usando uma caneta, enquanto o procurador geral dá algumas explicações. Para Flávio Bolsonaro, a foto é uma prova de que o MP está fazendo uma perseguição política contra ele. Entre os objetivos de tal perseguição estaria atingir também o seu pai, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Flávio Bolsonaro nega que irá se afastar do cargo e diz que justiça se uniu à Globo por perseguição política

Ainda na entrevista dada ao SBT, o Senador Flávio Bolsonaro negou que vai se afastar do cargo para responder com mais calma às acusações que estão em cima dele. Ele lembrou, entre outras coisas, que foi eleito pelo povo  do  Rio de Janeiro e que mantém o compromisso para trabalhar em virtude desses cidadãos.

“Olha, estavam conversando na mesma mesa o procurador do MP que está cuidando desse caso do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeira) e um repórter da Globo. Isso foi há poucos dias no Rio de Janeiro”, disse Flávio.

Globo já associa Flávio Bolsonaro à morte de Marielle Franco

Nesta terça-feira, 22 de janeiro, o ‘Jornal Nacional’ dedicou grande tempo para reportagens contra o Senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Pela primeira vez, o canal associou o nome do Senador à morte da vereadora Marielle Franco, do PSOL. A TV Globo tem sido alvo de boicote nas redes sociais por conta da postura da emissora.

Nesta terça-feira, o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado do Rio desencadeou a Operação “Os Intocáveis”, em Rio das Pedras. Entre os alvos da operação, estavam os militares  major Ronald Paulo Alves Pereira e o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega.

A Globo fez questão de citar que os dois militares foram homenageados por Flávio Bolsonaro entre os anos de 2003 e 2004, mais de dez anos antes da morte da vereadora do PSOL.

Pelo Facebook, o Senador voltou a dizer que estava sendo vítima de perseguição. Sobre a associação de seu nome com os presos suspeitos na morte de Marielle Franco, o filho do presidente disse que já homenageou centenas de militares ao longo de sua carreira política.

A TV Globo vive um momento difícil. O principal canal do país está sendo vítima de ataques nas redes sociais de eleitores do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Tudo começou depois que a Globo, diariamente, começou a dar destaque para as denúncias envolvendo o filho do presidente, o Senador Flávio Bolsonaro. Ele está no olho do furacão por movimentações bancárias consideradas suspeitas.

Comentários estão fechados.